Em busca da eliminação do câncer do colo do útero

Guilherme
Guilherme

Avanços recentes na estratégia de rastreamento do câncer do colo do útero têm proporcionado melhorias na detecção precoce e na prevenção dessa doença

O mês de março se destaca como o período de conscientização da campanha Março Lilás, dedicado à luta contra o câncer de colo do útero (CCU). Essa doença figura como uma das principais causas de mortalidade por câncer entre mulheres no Brasil. Entretanto, é uma das mais preveníveis. A infecção pelo papilomavírus humano (HPV) é o principal fator de risco para o desenvolvimento desse tipo de câncer. A vacinação contra o HPV, em conjunto com testes de rastreio de alto desempenho, desempenha um papel fundamental na detecção precoce da doença, aumentando as chances de tratamento bem-sucedido.

Dentre os 200 tipos de HPV identificados até o momento, cerca de 13 são classificados como de alto risco pela maior associação com o desenvolvimento de lesões pré-cancerosas e CCU. Apesar de a maioria das infecções por esses tipos de HPV não apresentarem sintomas e tenderem a regredir naturalmente, algumas podem persistir e evoluir para o câncer. Em 2023, o CCU foi a quarta maior causa de morte em mulheres no Brasil (6,06%), segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), sendo as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste as que apresentam maiores taxas de mortalidade.

Saiba mais AQUI