Sexo químico: do álcool ao ecstasy, cresce número de brasileiros que buscam entorpecentes para aumentar o prazer

Rodrigo Hilario
Rodrigo Hilario

A prática não é nova, o uso de drogas associado a relações sexuais é relatado de forma mais consistente desde os anos 80, e o termo “chemsex” foi na realidade cunhado ainda em 2000. Mas, tem voltado a repercutir com a introdução de novas drogas no mercado e uma menor percepção de risco em relação à mistura, diz Baltieri.

Fique por dentro AQUI