Estudo mostra que a oferta imediata da profilaxia pré exposição ao HIV é uma estratégia viável para conter o vírus

Rodrigo Hilario
Rodrigo Hilario

Artigo científico publicado na conceituada “The Lancet” mostrou que a profilaxia pré-exposição ao HIV, conhecida como PrEP, quando ofertada imediatamente nos serviços de saúde, é uma estratégia viável e eficaz na prevenção do HIV. Quando surgiu a PrEP, as pessoas podiam esperar até 15 dias para fazerem todos os exames antes de começar a fazer a profilaxia. O estudo confirmou, entretanto, que já na primeira consulta, desde que o resultado para o HIV seja negativo, a pessoa já pode iniciar a PrEP, reforçando as diretrizes adotadas pelo Ministério da Saúde desde dezembro de 2017.

O artigo se baseou nos resultados do Projeto ImPrEP que foi realizado entre 2018 e 2021 no Brasil, México e Peru. No Brasil, o estudo foi coordenado pelo Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI-Fiocruz), e contou com a parceria do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI) do Ministério da Saúde.

Leia mais aqui