HIV, câncer e transplantes: 2022 foi permeado por avanços na saúde

Rodrigo Hilario
Rodrigo Hilario

Em fevereiro, pesquisadores dos Estados Unidos, Canadá e Austrália mostraram que o uso de uma droga indicada para tratamento contra câncer obteve sucesso em expulsar o vírus HIV dormente de células de pacientes vivendo com o patógeno.

No mesmo mês, foi anunciada a terceira pessoa no mundo curada do HIV. A paciente, que também tinha leucemia, foi submetida a um novo método de transplante envolvendo sangue do cordão umbilical de um doador parcialmente compatível.

Algum tempo depois, em julho, foi anunciado o quarto caso de cura. O paciente foi um homem que vivia com HIV desde a década de 1980. Ele passou por um transplante de medula óssea para tratar uma leucemia, e o doador era naturalmente resistente ao vírus.

Já em termos de atendimento, em novembro, o Instituto de Infectologia Emílio Ribas lançou o marco zero das instalações do Centro de Reabilitação Sérgio Tardelli. A unidade será destinada para pessoas que vivem com HIV e contará com fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e psicólogos.

Leia mais aqui